Digital clock

sexta-feira, 30 de abril de 2010

INVEJA


Invejo o sol,

que toca o teu corpo

e com linguas de fogo

te faz queimar.

Invejo o mar,

que banha tua pele

e molha teu sentir,

te faz arrepiar.

Invejo o vento,

que bate em teus cabelos,

que roça o teu rosto,

e que te vai beijar.

Invejo tudo que te tem tão perto,

que tira teus sentidos e que te faz sonhar!



30/04/2010

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Hoje...(28)


Hoje eu me sinto assim,assim...


Como este dia "chove não molha",


Há uma tristeza dentro de mim e


Uma preguiça que não vai embora.


Lá fora a vida grita, sorrí,


mas eu não estou nem aí!

E não me venha com este sermão:

- Dane-se sua reunião!

Por favor, me esqueçam aqui,

preciso de ar, de tempo, de mim.





28.04.2010



segunda-feira, 26 de abril de 2010

LOUCURA




Tão acostumado com suas mentiras

não sabia mais quem realmente era.

Amava uma, duas, três mulheres,

com a vaidade de um sultão.

Cavalheiro romântico aparecia

como ideal aos sonhos femininos,

dono de um perfeito linguajar

cheio de poesia e sedução.

Suspiravam por ele as encantadas,

incapazes de perceberem a covardia

das soberbas falas decoradas

de um louco ser sem coração.




26/04/2010



domingo, 25 de abril de 2010

Dor doída


Silencia o coração

da amada,

chora o seu coração.

Tanto ainda que dizer!

Tanto ainda que sonhar!

Que ligeiro foi este sentir,

de mãos entrelaçadas,

de olhares apaixonados,

de beijos trocados

e palavras sussurradas!

Quão vazia fica a alma d'agente

que só as lembranças conseguem completar!

Amigo, senta aqui, entendo essa sua dor doída,

que só o tempo poderá amenizar.

Mas somos todos passageiros nesta vida

e um dia o trem também nos levará.





25/04/2010

AVAREZA

Dentro do peito o sentir se acumula.

Foram tantas as ilusões

que o coração tem medo

e foge do olhar, da palavra,

do sorrir.



Ficamos avarentos, mesquinhos,

solitários.

Sufocando a poesia, o desejo,

os sonhos sonhados.

A favor do que? Para que?

Ah, coração! Precisa voltar
a perder o compasso!









25/04/2010









quarta-feira, 21 de abril de 2010

GULA


Pobres homens

cuja febre do poder

torna-os insaciáveis,

burlando direitos

puxando tapetes

ignorando valores

sonegando a fé.

Almas violadas

pela hipocrisia,

pela omissão,

pela injustiça

pela corrupção.

Ratos espalhados

pela sociedade

que os recebe,

que os reconhece,

que os condena

e que os alimenta

com seus votos,

suas crenças,

seus erros

e receios.



21/04/2010

terça-feira, 20 de abril de 2010

IRA

Desfaz-se o véu
da passividade.
O cérebro ferve
como vulcão.
As palavras ferem
com ferocidade.
E os olhos cegos
recusam a razão.

Cuidado! Perigo!
As mãos podem
perder a noção!


20/04/2010

PECADO


Quem inventou que eu deveria

confessar pecados de menina?


.....................................................


Em nome do Pai levantam o cálice,

em nome da carne a sua batina.

Escondem suas taras malditas

na religião que os condena castos.

Que ironia!


Em nome do Pai levantam a patena,

com o corpo sagrado do Filho,

imunes à cada Eucaristia,

tirando os pecados do mundo.

Quanta heresia!


-Ah,Senhor!! Eles não sabem o que fazem?



19/04/2010

sexta-feira, 16 de abril de 2010

DESEJO




Em cima da mesa

um copo vazio

em cima da cama

um corpo no cio

ao lado da mesa

uma foto do filho

ao lado da cama

abajur cor de vinho

embaixo da mesa

um cachorro vadio

embaixo da cama

o pudor esquecido.







16/04/2010


quinta-feira, 15 de abril de 2010

Ao vento!



Ironicamente falei ao vento

e as palavras foram lançadas

em direção oposta.

Faz jus ao seu temperamento,

lamento.

Talvez devesse mesmo ficar calada,

intuindo o sábio ensinamento:

"A palavra é de prata,

e o silêncio é de ouro."

Pelo menos eu tentei!

E você vai lembrar que tentei!

Todos nós temos um tempo certo

para despertar.

É difícil tirar a venda dos olhos

de quem não quer enxergar.



15/04/2010

Agulhas e linhas



Escrevo o que sinto


e muitos nem me leem.


Alinhavo as palavras ,

arremato os versos,


com esmero e atenção.


As agulhas por vezes


ferem também a mim,


mas eu sigo


trocando as linhas,


cortando,



costurando,


e depois de pronto


dou de presente ao coração.








15.04.10

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Além da Imaginação


Viajei...


fui além da imaginação,


encontrei a minha frente


duas fadas de sorrisos fartos


trazendo em suas mãos


estrelinhas prateadas


que pulverizavam o caminho.


Entre paredes de fino mármore


uma escada em tom pastel


levou-me a nuvens de algodão.


De dentro delas vieram três querubins


em túnicas de organza multicor


com pequenas harpas


entoando cânticos celestiais.





Vislumbrei um lindo cenário de paz.




Sentaram-se ao meu lado

as fadas-meninas e ali


contaram-me estórias divertidas


enquanto borboletas azuis


sobrevoavam as flores do jardim.


Os pequenos querubins


corriam dispersos, felizes,


colhendo os lírios que


enfeitavam meus cabelos.


Senti um doce perfume no ar,


Senti a vida ter sentido maior


na pureza das crianças


na beleza do se dar


e voltei do sonho com


a leveza na alma


e a certeza que o amor está


onde nós o colocamos.





13/04/2010



* Dedico esta viagem aos meus cinco netos!




















sexta-feira, 9 de abril de 2010

Espelho


Leio-te
e ao ler-te

vejo-me refletida
em tuas linhas.
Tua alma
é o espelho da minha.
Com as mesmas dúvidas,
esperanças e aflições.
Quero poder de ti aproximar-me,
porque hoje compreendo
tuas angústias.
Tão intenso sentir
fêz de nós frágeis presas
de um amor sem direção.
Livre deste engodo,
já não mais me inquieta,
já não mais me avilta,
a cruel desilusão.


09/04/10

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Caos

Chuvas fortes,
inundação,
gente nas ruas,
apreensão,
alagamentos,
deslizamentos,
bueiros, lixos,
trânsito, medos,
vidas perdidas,
sofrimentos...


07/04/2010

terça-feira, 6 de abril de 2010

Vaso Sanitário (Poetrix)


Feminino e Masculino (uso).

Comum de dois gêneros (produto).

Sobrecomum (odor).



06.04.10

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Sentimentos III...(30)


Mentimos às vezes,

os poetas,

ao falarmos de amor

como se amando estivéssemos.

Mas por que deixarmos sempre

cair nos versos o pranto

do coração castigado?

A alma finge ser feliz

para ver feliz a quem quer bem.

E mentindo a minha ilusão,

vou mentindo a solidão também.

Seguindo a vida numa boa,

de bem comigo, de bem contigo,

que me lê e enquanto lê

a sua mente voa ...~/\~...




01/04/10




Viagem...(João Aquino e PC Pinheiro)

Viagem...(João Aquino e PC Pinheiro)
Oh! tristeza me desculpe, estou de malas prontas,hj a poesia veio ao meu encontro já raiou o dia, vamos viajar...
Ocorreu um erro neste gadget

Adorei sua visita!

Deixe seu comentário.Ele é muito importante pra mim. Cris Figueira*

"Espero no seu tocar a sutileza das asas da borboleta."(Cris)

Seguidores